cake-slice 1.png

35 Anos de Canto Vivo!

Muita coisa pode acontecer em 35 anos e, para nós, cantovivenses, não foi diferente! Vamos contar aqui como foram alguns desses momentos gostosos, divertidos e marcantes da história da Cia. Canto Vivo, lembranças compartilhadas por integrantes e ex-integrantes!

left-quote 1.png

Simone Stevaux

ex-cantovivense

"A Cia. Canto Vivo faz parte da minha história de vida.  Lembro que, em uma das apresentações do Clube da Gula na Sala Gloria Rocha, aguardávamos atrás das cortinas para entrar no palco e tínhamos que fazer silêncio absoluto pois o teatro já estava lotado. Ao meu lado estava a Elizeth Galastri, que literalmente começou a tremer como vara verde... falávamos para ela parar, mas ela dizia que não conseguia rsrs ...Enfim, entramos no palco, mas foi difícil controlar o riso e cantar ao mesmo tempo. No final deu tudo certo e fizemos uma belíssima apresentação. Saudades ... como era maravilhoso compartilhar esses momentos com vocês."

left-quote 1.png

Elizeth da Silva Galastri Camargo

atual integrante

"Lembro que uma vez, acho que era 2005, estava quase começando a apresentação e o Marco perguntou pro meu marido que número ele calçava. Daí o Ale falou o número e ele falou "Empresta seu sapato?". O Marco tinha ido de tênis branco e esqueceu de levar o sapato preto e não podia entrar com o tênis. Daí eles trocaram de sapato na hora da apresentação. Eu sempre brinco com o Alê que ele nunca cantou no Canto Vivo, mas o sapato dele já kkk..."

left-quote 1.png

Sônia Maria Brunelli

ex-cantovivense

"A Cia. Canto Vivo foi muito importante na minha vida pois estava passando por um momento muito difícil e era lá que eu conseguia esquecer de tudo. Lembro de uma vez em que estávamos todos sentados no chão em círculo falando sobre qual seria a roupa que usaríamos numa apresentação. E chegaram a conclusão que seria....tipo....camiseta azul (não me lembro) e quando a conversa terminou....eu perguntei....porque a gente não vai de camiseta azul? Kkkkk acho que eu estava em Marte durante a conversa. Kkkk todos rimos.... muita saudade"

left-quote 1.png

Priscilla Zuino Machado

ex-cantovivense

"Quantas emoções... Mas uma que não esqueço foi ver o terno do Jarinu voando pela janela do ônibus... kkkk... E a emoção de ter a Cia. Canto Vivo cantando em nosso casamento... E não esqueço do bolo de fubá recheado com goiabada da Maria Alice... Saudades daquele tempo. Eu conheci o amor da minha vida lá... Momentos inesquecíveis que dividi com o Canto Vivo."

left-quote 1.png

Wagner Rogério Cordesqui

ex-cantovivense

"Apresentação na Cripta da Catedral da Sé , em São Paulo. Entre outras apresentações marcantes que vou levar pro resto da vida. Obrigado a todos."

left-quote 1.png

Fernando Henrique de Souza Candido

ex-cantovivense

"Cantei um ano só, mas foi intenso kkkkkk... apresentações na Cripta, Santos, Itatiba, etc! Fora as amizades."

left-quote 1.png

Thereza Gonçalvez Bianco

ex-cantovivense

"Cantei na Cia. Canto Vivo durante 25 anos, Foi uma época de muitas alegrias e emoções,Principalmente quando fizemos a peça “Os Miseráveis” e outros eventos marcantes. Era só alegria durante as viagens que fazíamos: o que mais me marcou foi uma viagem que o Jarinu pendurou o paletó em um cabide na janela do ônibus e o vento levou!!! Nem preciso lembrar que só foi gargalhada !! Um abraço a todos cantovivenses e à Cláudia. bjosss"

left-quote 1.png

Kelly Cristina Lucchini Franciscato

ex-cantovivense

"Vencer o Mapa Cultural Paulista, foi um grande presente, gravar nosso CD em SP foi uma experiência divertida e gratificante e participar do musical Os Miseráveis em 2011 foi uma honra... E cantar em outras cidades também sempre foram aprendizados. Que sdds que dá, chega apertar o coração, quero poder voltar a cantar logo logo❤ Feliz por ter feito parte dessa família artística!!!"

left-quote 1.png

Karina de Mello Neves

ex-cantovivense

"Cantar sempre foi, é, e sempre será a minha paixão!!! Me lembro do dia em que passei no 1° teste que fiz em fevereiro de 2012, com a Cláudia, Carla e Andresa, e estava tão nervosa que esqueci a letra da música que deveria cantar e quando terminei a Cláudia falou: Você fica para o ensaio hoje! Meu coração deu um salto de felicidade! Posso dizer com o coração cheio de amor e com muito orgulho, que muitos dos melhores dias da minha vida foi junto dessa família, seja nos ensaios ou em cima de um palco em apresentações em que eu sentia um misto de nervosismo e realização! Todos vibrando a mesma alegria e amor por estar transmitindo boas energias e felicidade através do canto! Essa alegria não tem preço! Gratidão, gratidão e gratidão!"

left-quote 1.png

Ana Maria Machado Pereira

ex-cantovivense

"Quando fui aos ensaios do sábado à tarde após uma cirurgia buco-maxilo-facial, toda inchada e sem poder abrir a boca direito pra cantar e, conversando sobre a necessidade da frequência nos ensaios, o Tadeu apontou pra mim e disse algo como “olha em que condições a Ana veio!, parem de dar desculpas para faltar” 😅Ou quando nos preparávamos para “Os Miseráveis” transformando os textos em inglês para adaptar a pronúncia e ficava muito engraçado. A estreia de “Os Miseráveis”, inesquecível. Eu tinha a idade que hoje tem minha filha mais velha e participava do coral com a minha mãe. Até hoje me lembro de todas as músicas dos Miseráveis e ainda as canto, num coro improvisado com as minhas filhas. Se eu tivesse ficado no Brasil, penso que jamais teria saído do coral. Saudades"

left-quote 1.png

Cleide Aparecida Lisboa

ex-cantovivense

"Nossas viagens de ônibus, muitas risadas e guloseimas kkkkk... Terno do Jarinu voando foi muito bom kkkk. Concerto de 15 anos no Polytheama, inesquecível momento. Aguardando resultado no Memorial da América Latina, quanta emoção... Levo com orgulho ter feito parte desta companhia."

left-quote 1.png

Marcio Santoro de Arruda

ex-cantovivense

"Participei entre 1988 a 1992, me lembro das apresentações em parceria com o coral da igreja metodista no Vianelo, encontro de corais em Jundiai, Itatiba, Itu,  uma parceria com o coral do Banespa em São Paulo, Zé Roberto Ferroli juntou a gente, me diverti muito e fiz excelentes amizades. Muita gratidão"

left-quote 1.png

Fabia Giarola

ex-cantovivense

"Bons tempos! Foi muito bom participar da Cia Canto Vivo!! Lembro do Carlos dizendo várias vezes.. nós somos o terceiro lugar do Estado! Acho que era isso, já estou com amnésia! Eu também organizava a hora do lanche.. lembrando todo ensaio qual era o grupo que deveria levar na próxima semana! 🤭🤭 Parabéns pela data"

left-quote 1.png

Anna Karina Peres Crodelino

ex-cantovivense

"Foram momentos maravilhosos que vivemos com o Canto Vivo e marcaram demais nossa vida, mas um momento engraçado foi quando fizemos uma apresentação com encenação pré-Miseravéis no Glória Rocha, tínhamos que descer “correndo” as escadas e eu caí antes de subir no palco. Levantei tão rápido que parecia fazer parte da encenação, mas quem sabia que não era até hoje tira sarro disso. Hahahahahah"

left-quote 1.png

Heloisa Surian

ex-cantovivense

"Amo até hoje o SaoJoão Dará rao...A Cia. Canto Vivo foi minha grande alegria....

O nosso grupo daquele tempo era muito unido. Mais que colegas, éramos amigos e somos até hoje."

left-quote 1.png

Cida Soprano

ex-cantovivense

"Uma lembrança bonita da minha época  entre tantas foram os casamentos que cantamos... do irmão do Tadeu.... do Tadeu e da Cláudia (ensaiar a música canções e momentos sem eles saberem. Foi um custo e muito divertido)... do Jarinu com a Priscila que cantamos a marcha nupcial em alemão.. que luta pra aprender a letra... do filho da Maria Alice numa igrejinha  em São Pedro. Quando saímos ela nos deu um prato enorme cheio de doces deliciosos.... a gente parecia criança disputando aqueles doces... e o casamento do filho do Ze é da Ivani... eu já tinha saído do coral mas pude cantar... e foi muito lindo é emocionante . E acho que foi no do irmão do Tadeu que o coral sério... concentrado... terminou a música e... surpresa... a igreja inteira aplaudiu. Foi lindo. Outro momento inesquecível  pra mim foi a nossa festa de quinze anos. Igual aquela acho que nunca mais. A cidade parou naquele dia.  O Polytheama lotadissimo. Foi um momento de gloria do Canto Vivo. O Sanctus... o coral inteiro emocionado. Até hoje quando eu quero me emocionar eu coloco o cd. E choro. De saudade. Daquele tempo. Daqueles amigos, de tudo."

left-quote 1.png

Maria Cristina Ferreira Gaio

ex-cantovivense

"Logo no começo quando entrei, não sabia ainda muito bem diferenciar os teatros. Glória Rocha e Polytheama...tínhamos uma apresentação no Glória Rocha...fui para no Polytheama...cheguei, entrei, um monte de gente...perguntei onde estava a  Claudia, minha regente... a turma respondia: Não sei... Onde estão as meninas pro aquecimento? Um monte de gente, mas ninquém conhecido... um frio na barriga...

PENSEI... perguntei qual o espetáculo... não tinha nada a ver conosco...

SAÍ CORRENDO... devo estar no Teatro errado... Kkk... Deu tempo..."

left-quote 1.png

Ivani Vequiati Ferroli

ex-cantovivense e uma das fundadoras do coral

"Lembro de um domingo que fomos fazer apresentações com o coro em Itatiba e passamos uma manhã por lá. O primeiro lugar que fomos foi na cadeia, eu nunca tinha entrado em um lugar assim kkkk . A sensação foi chocante!!! Ver aqueles seres humanos numa cela foi muito triste!! Mas ao mesmo tempo uma sensação boa de poder estar levando um pouco de alegria com nossa música pra eles!! Eles estavam todos arrumados, barbeados e perfumados para nos ouvir!!! A apresentação foi em um pátio com visão das celas para o coro. Depois fomos para o asilo, também foi muito bom porque levamos nossa alegria e um pouco de conversas com os que estavam lá!!!"

left-quote 1.png

Fernanda Canale

ex-cantovivense

"A Cia Canto Vivo marcou e fez história na minha vida, cantei por 7 anos com o grupo e vivi momentos marcantes. Um dos mais marcantes foi a emoção que senti no teatro Polytheama ao apresentar "Os Miseráveis", realmente foi mágico e muito especial e poder fazer parte dessa história, é muito honroso e gratificante! No grupo fiz grandes amizades as quais recordo com muito carinho, claro que tiveram os momentos de perrengue, afinal de contas, qual grupo não tem? Porém trago em minha vida a história com a Cia Canto Vivo sempre com muito amor e carinho! Obrigada por existir e fazer nossas vidas valer a pena! Crème de la Crème."

left-quote 1.png

Miriam Lima de Jesus Pastori

ex-cantovivense

"Eu estava ávida por música de folclore brasileiro, porque cantamos muito o folclore africano, italiano, mas brasileiro mesmo, era raro,  pelo menos pra mim, e aí a Cláudia chegou com o "SACI PULOU NO MEIO". Foram maravilhosos os ensaios, eram descontraídos, rimos pra dedéu, por conta da letra e também dos contracantos...foi bem divertido. E era um momento coral, que esquecíamos por 2h30 um pouco da realidade lá fora... só um poquinhooo"

left-quote 1.png

Silvia Carla Garcia

ex-cantovivense e ex- assistente

"O que falar da Cia. Canto Vivo...Foram dois momentos diferentes em que estive participando com esse grupo. Primeiro, como coralista e depois de alguns anos, como Assistente. Nas duas etapas, musicalmente foram muito prazerosas! Tive a oportunidade e o privilégio de conhecer pessoas que até hoje, apesar de quase não nos encontrarmos, mantemos o contato ou por redes sociais ou nos encontrando raramente, mas a consideração e o carinho são os mesmos. Pessoas de diferentes lugares, com seus compromissos de trabalho, de estudo ou de família, mas que se encontravam semanalmente para fazer algo que gostavam e cativavam a todos. Um lugar que no momento do fazer música se transbordava em união, alegria e companheirismo. Em uma das viagens que ocorreu nesse período, algo engraçado me marcou. Uma parte dos coralistas estavam em um ônibus e logo atrás, haviam um ou dois carros que também nos acompanhava. Fazia calor, as janelas do ônibus estavam abertas, o pessoal estava alegre, conversando e de repente tudo se aquietou. Quando chegamos ao destino e descemos, aí que falaram o ocorrido: um dos integrantes havia perdido a calça do uniforme, pois havia saído voando pela janela... E quem estava nos carros acompanhando, viu o que aconteceu...rsrsrsrs Sou grata pela oportunidade que tive na época, pois vivenciei não somente os momentos felizes, mas também alguns momentos difíceis que todo grupo independente que quer fazer a diferença e um trabalho de QUALIDADE junto a seus dirigentes pode sofrer. Porém, a garra, a vontade, a dedicação e o respeito, vencem qualquer dificuldade.

Respeito muito o trabalho desenvolvido e cada integrante que pude conhecer. Tenho saudades de todos e estou sempre na torcida por este grupo. Apesar de na maioria das vezes não poder estar presente fisicamente em apresentações, não deixo de acompanha-los de coração.

Parabéns pelos 35 anos e que possam vir muitos outros, cantando e encantando a todos."

left-quote 1.png

Kalil Picceli

ex-cantovivense

"A Cia Canto Vivo mostrou pra mim um mundo de possibilidades que antes eu jamais me atrevi a sonhar, me mostrou um senso de Time, de Unidade que eu levo até hoje. Todos os momentos que vivi com este grupo foram únicos, mas com certeza o primeiro impacto foi cantar a Missa Brevis, foi uma emoção indescritível. Também não posso deixar de ressaltar nossa apresentação da peça Os Miseráveis, onde tive a honra de interpretar Marius, foi um dos momentos mais marcantes da minha vida! Vida longa à Cia Canto Vivo."

left-quote 1.png

Daniel Cerimarco

ex-cantovivense

"Fiz parte da Cia Canto Vivo entre os anos de 2011 e 2012! Recordo-me que na primeira apresentação, no primeiro semestre, era a do lançamento do cd do Canto Vivo na Sala Glória Rocha, e início das comemorações de 25 anos do coro ! Devo ter participado de 2 canções que o coro havia  gravado e uma delas era de um cantor Jundiaiense,  o Nando Nicioli, que nos acompanhava  na ocasião com a Banda Trio em Transe! Foi uma grande emoção e me lembro do Nando, no final, me falando da emoção de ouvir uma música sua sendo executada por um coro com a qualidade do Canto Vivo e com os arranjos da Cláudia de Queiroz!  Senti uma grande alegria por ele e uma certa inveja , já que também componho canções!  Mas aquele era o ano do Grande espetáculo, “Os Miseráveis”, que lotou o Politheama nas suas duas apresentações. Foi um trabalho incrível!  No ano seguinte, em 2012 a Cláudia pediu para fazer arranjos para uma música minha, “Eucalipto”, para o Espetáculo “Canto Vivo a Brasileira”!  E ali, fui inserido num universo mágico, mas de muito trabalho e disciplina, que me fez amar os ensaios de coro! O coro se divide em grupos para passar as vozes e eu ouvia a música nunca cantada antes, sendo cantada em naipes em salas diferentes. Várias vezes me emocionei ouvindo essas e outras canções dessa forma! Quando nos juntávamos , olhava para as pessoas com gratidão, e podia sentir a retribuição expressa no olhar  daquelas pessoas queridas!  Acabei compondo outra canção com a emoção desses ensaios que dei o nome de “Bonança”! Tive o prazer de apresentar a canção “Eucalipto” com a Cia Canto Vivo em conjunto com a banda “Estações Brasileiras”, e ouvi-la com aquelas vozes vibrando agora nas paredes da Sala Glória Rocha! A emoção era tanta que eu mais ouvia do que cantava, e agradecia a Deus por poder fazer parte dessa vivência humana grandiosa que é a de cantar num Coral!"